domingo, 1 de maio de 2011

[Ed.114#] Discovery Hemp: Maconha Medicinal ganha força no Mundo… e no Brasil?!

Essa reportagem do Terra evidencia um viés que dá muita esperança à legalização da maconha no Brasil. Através da maconha medicinal, os EUA estão conseguindo cada vez mais flexibilizar suas leis. E aqui também pode ser assim, mas os esforços estão vindo de empresas internacionais que tentam lucrar com a venda de remédios a base de cannabis. Veja:

 

“O recente acordo firmado pela gigante farmacêutica Novartis com a britânica GW Pharmaceuticals para vender o Sativex, um remédio à base de maconha, em regiões como Austrália, Ásia, Oriente Médio e África reacendeu o debate sobre o uso medicinal da Cannabis sativa (nome científico da maconha).

 

Já aprovado no Canadá, nos Estados Unidos e em alguns países da Europa, o medicamento, que serve para tratar a esclerose múltipla, pode chegar ao Brasil em breve. A lei do País não permite remédios que tenham extratos da maconha em sua composição, mas existem brechas para casos específicos.

 

A GW Pharmaceuticals, fabricante do Sativex, inclusive já iniciou discussões com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), no fim do ano passado, para a venda do remédio no Brasil, mas até o momento não houve a liberação.

 

De acordo com o professor de farmacologia da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Gilberto da Nucci, a eficiência do uso de princípios da maconha no combate à dor já está comprovada, mas ainda não se sabe exatamente como ela age no cérebro.

 

"A Cannabis sativa é utilizada como analgésico há mais de 5 mil anos. Foram identificados canabinóides endógenos que atuam em receptores específicos no cérebro em sistemas de processamento de dor", diz. "Os canabinóides orais, tais como tetrahidrocanabinol, canabidiol e nabilona demonstram eficácia analgésica em dor neuropática periférica ou central, artrite reumatóide e fibromialgia", explica.

 

"Não é conhecido o mecanismo de ação dos canabinóides no cérebro. Foram identificados receptores para canabinóides endógenos, entretanto, não se sabe ainda a importância dos mesmos na ação da cannabis", pondera.

 

Ainda assim, Da Nucci considera que há pouco risco. "Não há evidências de que o uso por período curto de tempo cause malefícios aos pacientes. Esta substância já está liberada para ensaios clínicos, assim como em vários outros países, mas não no Brasil. Vários estados americanos aprovaram leis estaduais permitindo a venda e o uso da cannabis para uma variedade de indicações terapêuticas", diz.

 

Mesmo quanto ao uso terapêutico na forma de cigarro, liberado em alguns estados americanos, como a Califórnia, por exemplo, Da Nucci faz avaliação positiva. "Um estudo recente demonstrou que a inalação da cannabis três vezes ao dia, por cinco dias, reduziu a intensidade da dor e melhorou a qualidade do sono em pacientes com neuropatia periférica. A inalação da cannabis foi bem tolerada", diz.

 

Para o professor, as pesquisas com maconha podem mostrar à medicina um novo campo de ação, com novas substâncias sintéticas sem os efeitos indesejáveis do THC (princípio ativo da droga), que poderiam ser úteis no tratamento de várias doenças. "São exemplo as doenças de origem cognitivas, a dor, problemas gastrointestinais e doenças neurológicas. É neste campo que se concentram, hoje, a maior parte dos cientistas que estudam os compostos canabinóides", diz.”

    12 comentários:

    1. Legaliza brasil!!!

      ResponderExcluir
    2. Efeitos indesejáveis do THC?
      Acho que os tais efeitos aos quais o professor se refere são mais do que desejáveis para a maioria das pessoas :P

      ResponderExcluir
    3. eu acho que o efeito do THC e o mais desejado pelas pessoas aeauehuaeh
      legalize it !

      ResponderExcluir
    4. a gente e' devagar demais... mas o mundo esta engatinhando nesse caminho, legaliza brasil!

      ResponderExcluir
    5. espero estar vivo pra ver a legalização, não só pra fazer a cabeça, como também na medicina e na industria!

      ResponderExcluir
    6. Suricate_Vinicius2 de maio de 2011 03:03

      Não podemos ficar pra trás...

      ResponderExcluir
    7. "...Um estudo recente demonstrou que a inalação da cannabis três vezes ao dia, por cinco dias, reduziu a intensidade da dor e melhorou a qualidade do sono..." = 1 de manhã, 1 de tarde e um a noite, pronto! uma vida perfeita =P

      ResponderExcluir
    8. Vai tirar os efeitos do THC?!
      Acho q nao qro mais...
      AUHSHUASHAUSUAHSHAUHSAUS

      ResponderExcluir
    9. Mas não é só o THC que dá o efeito... Foi provado empiricamente que doses de THC (puro) oferecidas a um paciente não davam efeito de euforia, alegria, pelo contrário, o uso somente de THC levou o paciente cobaia a apresentar sintomas de bad trip. Quando recebeu doses de THC com todos os outros canabinóides, o efeito foi esse que a gente conhece. Portanto, o THC não é o único responsável pelo barato maneiro que a gente curte. Pelo que se entende, parece que nem mesmo os cientistas sabem ao certo qual é a da parada...
      Mas uma coisa é fato: mal não faz, a não ser câncer de pulmão devido a essas merdas que misturam na maconha que se compra nas ruas, nos morros. O fato de não ser legalizada, por um lado, contribui então para o aumento de número de câncer de pulmão. É a história de que você quer ter muito carinho com seu pintinho, que de tanto da carinho pra ele você acaba o matando. Nesse caso soa parecido: de tão preocupados eles estão em criminalizar o uso de maconha que eles acabam influenciando as pessoas a rumarem aos morros para poderem comprar o bagulho, e esses todos sabem que são cheio de amônia e outras coisas a mais que são prejudiciais a saúde. Aí eles acabam culpando a erva por efeitos indesejados.

      É uma situação lamentável.

      ResponderExcluir
    10. isso vai substituir meu benflogin,aí é bunito mané!!

      ResponderExcluir
    11. ja vo punha minhas semente aqui na terra UHaaaa!

      ResponderExcluir