quinta-feira, 7 de julho de 2011

[Ed.#123] Adão e Erva: O Caminho do Texto é o Contexto – Maconha é Tema na Tomada!

O que se espera de Adão? Um texto de humor ou religião? Crônicas dessa vida louca ou versos vastos de reflexão? Legalização. Palavra sonhada, almejada, doido vislumbre ou ilusão. Porque não? Luz que acende a sabedoria no fogo da informação, enquanto caretas só caretas são porque debatem com a emoção e não com a razão. Quero ir fundo nessa equação com todas possibilidades da língua e sua permissão.

 

Meu nome Adão tampouco é solução, é rima. Mas o caráter milenar dessa evocação nos ensina, aciona, acende, raciocina, sanciona, ascende, resina, assina o sumo de cada semente. Na terra que tudo que se planta, dá – ou não dá? Na erva em que tudo que é santo, tem – ou não tem? No jardim de Shakespeare, Osama ou Pinochet, na batida do tambor ou filosofia da Índia. Sativa ou indica, maconha.

 

O que se espera? Rir ou ruir? Feito ratos, roer? Que fazes aqui nessa casa, onde semanalmente eu – e diariamente todos – botamos a mão na brasa pra escrever à massa que se amarra, ou não. Que fique pra depois, depois da legalização, alguém afim de estudar o passado, alguém passando os olhos vermelhos no que fizemos e no que fomos, no que falamos e no que fumamos enquanto lutávamos por poder fazer a debate acontecer.

 

Outras gerações não saberão o que foi a repressão, se não pela história de cada ação que se submete hoje. Explícito sempre estará: cada um fez o que pôde. E não há outra chance de fazer história se não no tempo e quando em que se vive. O que se espera de cada vão momento, se em cada tempo podemos sentir o vento e soprar sentimento? Adão, ventilador dessa revolução, quer literatura e cultura para – como sugeriu Raul – cuspir na estrutura. Quebrar paradigmas, não vidros de viatura. 

 

Desde que nasci, dentro do nome desde blog, eu escrevo com prazer porque procurar palavras e partilhar pensamentos é o melhor lazer. Legalizar o uso lúdico e recreativo e claro, o autocultivo. Eis o dia que está pra nascer… quando a liberdade raiar na janela do prédio e o baseado contra o tédio não mais ser ilegal. O que se espera então? Da erva, dose pro pulmão ou cura da nação? Doce ilusão… legalizada desde os tempos de Adão. O que se espera dela? Luz enteógena ou  chapação? Adão e Erva – já é tarde.

13 comentários:

  1. adorei!
    estais inspirado!
    e inspirador..

    ResponderExcluir
  2. muito bom doidao! ;]

    ResponderExcluir
  3. otimo texto! Conteudo de 1ª p galera pensante.
    jah bless

    tah chegando a hora _\|/_

    ResponderExcluir
  4. qm assistiu agoraé tarde ontem na band??...esplaino total...80% do programa na base da cannabis!!kkk....depois da reportagem lah aparece ate um apertado na orelha do vocalista e o vei começa a coçar a mao....esplainadao!!kkk

    a band ta se mostrano cada vez mais a favor do tema em!!sem babar ovo do canal mas eles taum ajudando bastante na causa...

    ResponderExcluir
  5. é sempre um prazer lê-lo Adão - pura chapação e gastação!

    ResponderExcluir
  6. Muito bonito, e inteligente tambem!!

    ResponderExcluir