segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Maconheiro e Brasileiro! [Baseado na Lei 46ª Edição]

por Cacá “King Size” Müller

 

Sou brasileiro e sou maconheiro.

Nasci sob o regime jurídico da República Federativa do Brasil. Ao ser cidadão brasileiro, o indivíduo deve respeito a todo o ordenamento jurídico vigente neste país. Tal situação decorre do Contrato Social. Este contrato rege as relações internas da grande tribo brasileira. Abdicamos de parcela de nossa liberdade individual no intuito de viver em coletividade, o que favorece a sobrevivência do indivíduo. O grupo faz o homem mais forte, mas para isso ele perde a individualidade, a liberdade.

 

 

Vive-se em grupo, obedecem-se normas. Mas a tribo cresceu e a sociedade se tornou complexa. Passam a existir representantes, é necessário custear a estrutura estatal. Assim, os homens passam a ceder parte de seus rendimentos. Quando a contribuição passou a se tornar compulsória, deram o nome de tributo para ela. Assim, não há dúvidas: as leis, o governo, a polícia, e demais instituições estatais nasceram do homem e a serviço dele.

 

Infelizmente, os objetivos fundamentais que levaram a criação do Estado foram esquecidos. O poder, o capital e os interesses individuais modificaram o rumo da tribo. Em vez de visar os interesses de seus indivíduos, o Estado labuta em prol de poucos.

 

Mas o que acontece quando o Estado não mais tutela os interesses do indivíduo? A tribo já não pensa como o chefe, e este impõe suas diretrizes ao coletivo. O povo outorgou o poder ao chefe e também pode tira-lo. Assim, o Estado descumpre as cláusulas do contrato social, o que leva à “quebra” do contrato. Se o Estado não cumpre o contrato, teria o indivíduo o dever de cumpri-lo? Sou maconheiro e sou brasileiro. Mas será que posso ser ambos? Observe, reflita, pense, critique, evolua e mude o mundo.

17 comentários:

  1. Esses cães não foram adestrados pra nos tratar assim não... ta errado!
    Maconheiro, brasileiro e pobre. Aí o bixo pega
    :/

    ResponderExcluir
  2. "Exceptio non adimpleti contractus”

    ResponderExcluir
  3. Nós nos tornamos ventríloquos onde somos manuseados pelo mais forte !

    ResponderExcluir
  4. Por mais sentido que faça, o grande problema do contratualismo é esse. Ele não existe. Todo mundo já nasce sob seu poder, sem precisar dar seu consentimento a ele. E ele de fato não é cumprido. Em questões muito mais essenciais do que a maconha (claro que no caso estamos falando de liberdade, porém podemos entender), como a saúde, moradia, educação, segurança, e todos esses outros bens jurídicos que estão previstos na constituição, e não contemplados na prática, podemos ver que a cobrança é feita por um só lado, e esse, com certeza não é o lado da maioria. Como julgar qualquer ato de 'terrorismo', contra o estado ou a população, nessa situação? A revolta, aqui, é mais do que justificada.

    ResponderExcluir
  5. os humanos nao sao filho de deus sao filho do capeta.vieram para terra para destrui-la e se auto destruir .ninguem vale nada,todos so ligam para si proprio,todos so vissam o lucro. uma sociedade justa nunca existiu. sempre os mais fortes dominam os mais fracos.os humanos sao covardes e a unica especie que me merece a extinçao

    ResponderExcluir
  6. se o Estado nao cumpre o contrato, nao cabe ao cidadao exercer as atividades do Estado;
    o que cabe a nós, filhos de jah, é exigir do Estado o cumprimento dos seus deveres

    ResponderExcluir
  7. Votem em "Quebrando o Tabu", documentário brasileiro sobre política de drogas e que apóia a regulamentação da maconha!
    Vamos incentivar nossos cineastras de que é um tema lucrativo pra se trabalhar, pois nossa população tem sede de informações a respeito.
    polls.folha.com.br/poll/1133506/

    ResponderExcluir
  8. A sociedade em geral não é educada pra ser tolerante, indiferente, justa. Infelizmente existe uma grande moralidade por tras de tudo isso. Mas particularmente acho que o povo brasileiro é muito hipócrita, individualista (socialmente falando). O problema é que os "chefes" deveriam dar os bons exemplos, o que não acontece.

    ResponderExcluir
  9. Essas teorias alguma vez ja existiu na historia de humanidade? O estado servir o bem comum. Certos pensamentos me parece as vezes ser retirados de um roteiro de novela.

    ResponderExcluir
  10. Se desde a saída do útero materno somos bombardeados pelos valores de uma pseudo democracia, torna-se "natural" essa alienação!
    O que deve ser feito para que uma sociedade passe a se entender como maioria, queira LUTAR por seus direitos(funcionais, sociais e de VIDA)? O que deve a classe menos favorecida fazer? tomar o poder? mais isso não a tornaria a proxima a exercer esse poder de forma opressora? A educação deve ser pricipal direito! direito ao saber crítico! Aí sim outors direitos viram como consequencia e exigencia de uma sociedade que realmente sabe oq quer, ai sim saberemos como lutar contra esse estado corrompido e como enxergar toda essas ídeias que nos são impostas desde o nosso nascimento!! E principalmente contra essa inércia que não nos deixa MOVIMENTAR

    Paz a todos!!

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pelo texto, vc é escritor? Muito bom mesmo, e cabe a nós mudar a forma de sociedade em que vivemos :)

    ResponderExcluir
  12. KD AS DICAS DE CULTIVO??? NINGUEM POSTA MAIS NADA SOBRE....responder o email tbm ninguem responde? pq soh pq sou novo aqui?

    ResponderExcluir
  13. NOoOoOooo que viaaaagem!!

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. DETTMANN Vila Velha-ES6 de dezembro de 2011 18:02

    Apoiado! Vencemos uma batalha histórica quando "nos deixaram" sair às ruas e "pedir" pelo diálogo...
    Agora falta pouco, o mundo está aderindo ao grito(não mais abafado) do povo maconheiro, seja para a saúde ou para o lazer, o que importa é informar que a tribo cresceu, não só em tamanho, mas em consciência...
    Hoje vale dizer que a sociedade "maconheira" é unida, esclarecida, lutadora e sabedora de seus direitos e deveres, somos muitos(e muito mais)!

    ResponderExcluir
  16. Se desde a saída do útero materno somos bombardeados pelos valores de uma pseudo democracia, torna-se "natural" essa alienação!
    O que deve ser feito para que uma sociedade passe a se entender como maioria, queira LUTAR por seus direitos(funcionais, sociais e de VIDA)? O que deve a classe menos favorecida fazer? tomar o poder? mais isso não a tornaria a proxima a exercer esse poder de forma opressora? A educação deve ser pricipal direito! direito ao saber crítico! Aí sim outors direitos viram como consequencia e exigencia de uma sociedade que realmente sabe oq quer, ai sim saberemos como lutar contra esse estado corrompido e como enxergar toda essas ídeias que nos são impostas desde o nosso nascimento!! E principalmente contra essa inércia que não nos deixa MOVIMENTAR


    falo tudoo !! só q tem q se isso mesmo os pobre domina os rico mais nao fazer oq eles fazem com nós, teriamos q fazer algum tipo de " sistema " para todos disfrutar da terra e cuidar dela igual! direito pra todos é direito pra todos..

    ResponderExcluir