terça-feira, 13 de outubro de 2009

[Ed. #33] Chapa2: Álcool e Maconha – O Embate Eterno!

Todo mundo que argumenta a favor da maconha gosta de usar o fato da erva ser menos nociva do que o álcool. Quem defende o álcool quase nunca tem o que dizer, e não diz nada, simplesmente pede mais uma gelada ao garçom, quantas vezes quiser. Culturalmente se instituiu assim. Felicidade para as emissoras de tv, já que não podemos calcular de cabeça o quanto as propagandas do famoso “suco de cevadis” consegue converter em dinheiro só pela veiculação das marcas no futebol da Globo, por exemplo. Muito mais difícil é imaginar quanto as empresas de cerveja faturam por essa cultura que, repito, se instituiu.

A instituição dessa cultura é cara. Segundos os dados de qualquer pesquisa, milhares de mortes no trânsito, o que justifica o jargão publicitário e pobre: “se dirigir não beba”. Perante ao fato de que 80% dos leitos psiquiátricos são ocupados por pessoas que tiveram problemas com a cachaça, o jargão talvez deveria ser: “não beba”. Assim como dizem não fumem. Mas de maneira nenhuma o álcool deve ser proibido, aliás todo mundo saber que essa época já aconteceu em outros países e não foi nada bem sucedida. Não se deve proibir nem o álcool, nem a maconha, assim como não se proíbem bacons nem aspirinas.

A maconha é descriminalizada no Brasil, mas cheio de defeitos legais. O usuário  não é preso, mas extorquido, chantageado ou humilhado. Além disso, o ato de fumar ainda é passível a punição, mesmo que não de reclusão. Todas essas complicações fazem da maconha um mito nas famílias, e de fato deve gerar preocupações aos pais. Mas o que eles não conseguem entender é que a erva, a planta, maconha, é menos prejudicial do que o legalizado e glamourizado álcool. Quer dizer, isso na opinião de qualquer pessoa normal. Porque na cabeça da psiquiatra Maria Thereza Aquino não é bem assim, já que a maconha “muda destinos”, enquanto o álcool é rapidamente eliminado pela urina.

Dá pra acreditar? Mas absurdo no debate pela legalização é mato, por isso vamos sublinhar também o fato do canal de tv da Globonews ter pautado um programa para falar da “descriminalização da maconha”, tendo chamado somente essa doutora. Essa não é a primeira vez que ela está aqui na Hempada, pra quem lembra, foi ela que debateu e apanhou feio do Ethan Nadelmann, no auditório do jornal O Globo. Na ocasião a doutora brincou, brindando com palavras o que todo mundo já desconfiava: “Eu eventualmente bebo”. E não é caso de idade, já que a pergunta chave veio pelo contato do leitor de 71 anos, sendo assim bem claro ao querer saber da doutora: “Porque o álcool mesmo sendo mais prejudicial do que a maconha é vendido em qualquer esquina?”. Veja só:

A agência militante Marijuana Polity Project está dando 10 mil dólares a quem conseguir provar cientificamente que beber álcool é menos perigoso do que consumir maconha. Eles são taxativos: “Nós sabemos que dificilmente vamos gastar esse dinheiro”, já que é na verdade impossível comprovar isto. Aí Maria Thereza, porque não se candidatar com esse discurso de a maconha “muda destinos, enquanto o álcool é eliminado na urina”? Mó grana…

16 comentários:

  1. É a hipocrisia dando o tom...dizer q a santa maria é + prejudicial q o álcool é uma piada!Mas o q se pode dizer,num país de Lulas,Collors e Sarneys?Estamos cercados de hipocrisia,corrupção e ignorância

    ResponderExcluir
  2. sobre alcool e maconha soh tenho 1 coisa a dizer..
    se for fumar e beber fume primeiro e beba depois..se beber primeiro e fumar depois corre o risco de passar mal iheaiuoheiae !

    ResponderExcluir
  3. Esse é o mal do Brasil, a crise de autoridades.
    Uma pessoa como essa mulher de visão embotada, preconceituosa que não pensa em se aperfeiçoar pois já se considera perfeita, não acompanha estudos, depoimentos de usuários, seu empenho não é colaborar com a questão, mas fazer seu ponto de vista vencedor. Esse é o problema do abismo sem solução em relação ao prolblema, essa mulher é uma agravadora dessa realidade triste.
    Além disso se coloca com esse posicionamento em relação ao álcool porque é consumidora, lamentável, o alcool de tantas violências dométicas e sociais.
    Está mais do que mostrado para a cultura dela, o problema é a maconha não ser considerada coisa de branco cristão, é racial o problema é a luta por uma hegemonia cultural.

    ResponderExcluir
  4. Até concordo com ela no esquema da erva mudar destinos, mas isso se dá por ignorância de alguns usuários e não pela droga em sí. O álcol também muda muitos destinos, pelo alcolismo e pelos acidentes de trânsito e pela violência. A solução é legalizar, educar e deixar que os pais controlem seus filhos, e não obrigar os filho a fumar escondido dos pais.
    O foda é que aos poucos os argumentos pró legalização vão ficando batidos, repetitivos, porque são verdades e ninguém consegue refutar. Já os argumentos anti-legalisação são sempre bem novinhos, cada vez que um cai eles arrumam outro.

    ResponderExcluir
  5. Acho que ela tava de ressaca quando proferiu esta pérola.

    ResponderExcluir
  6. E realmente a maconha e prejudicial, e muda destinos..... vejam o Phelps, e o Obama... coitados, fumaram maconha e o resto voces ja sabem uahuahuahuhuahuah!
    Eles com certeza teriam um futuro melhor se nao fumassem!

    ResponderExcluir
  7. Ela é um mero instrumento da toda-poderosa rede Globo e suas filiais para tentar mascarar a verdade. Dá vontade de rir da ignorância... Não precisa ser Ph.D em biologia pra saber que a maconha é uma substância relativamente leve. Quem assistiu GloboNews e não procurou apronfundar-se no assunto pode ter sua razão entorpecida pelas leviandades relatadas pela nossa ilustre doutora Maria Thereza Aquino. É uma questão de tempo pra legalizarem. Será um verdadeiro efeito dominó, ainda mais depois que o Obama da paz de Jah legalizar nos States. "Nossa vitória não será por acidente!"
    Netovski

    ResponderExcluir
  8. a manipulação da globo não tem limites, os caras querem achar desmatamento no sertão...

    não há como provar que o alcool é menos perigoso que a M, pq não é, e todo consumidor sabe.

    ResponderExcluir
  9. se mudasse destino mesmo fudeu..as faculdades nao teriam mais ninguem.Ate o cara eliminar o alcool no sangue ele ja matou uns 2 atropelados.Como que botam uma mulher dessa pra debater,ela nao sabe de nada e quando e que vao botar alguem a favor da legalizacao pra falar?se for assim e mole ne...vamos peder de w.o sempre.

    ResponderExcluir
  10. Sugiro o pessoal do Hempada a mandar essas críticas p/ o e-mail da Globo tb. Não é a primeira vez q colocam um médico p/ falar besteira no ar. Acho q escolhem esses pq devem ser os mais à toa. Essa Dra deveria ser processada por divulgar informações tão absurdamente incorretas.

    ResponderExcluir
  11. nossa caras que dó dessa velha huauhauha e de nós né
    mas de boa
    vamo arma uma dessa tambem o galera do hempadao
    pega uns patrocinios ae e arma essa campanha no Brasil também .

    ResponderExcluir
  12. Fala sério mesmo!
    Manda essa coroa ir "pros state" pra ganhar 10.000 reais ligeiro então... ora la mais essa!!!!! O que me revolta é que ela como psiquiatra devia saber que suas palavras eram dignas de vergonha e leigas no assunto discutido!

    ResponderExcluir
  13. Um Bêbado é visto pela sociedade como um coitado, enquanto um maconheiro é visto como um marginal.
    Quem bebe pode ser agressivo, tem algumas atitudes lamentaveis sob os efeitos do alcool e todos perdoam no outro dia, pois estava sob o efeito.
    Quem fuma, no maximo fica chato, e é discriminado mesmo sem dar nenhuma mancada...

    como diz planet...
    "É o sistema manipulando informação."

    ICE

    ResponderExcluir
  14. Galera da Hempada, mandei ver nas críticas à Dr no www.psicotropicus.org/psicoblog. Confiram a contra argumentação e deixem suas opiniões lá tb. Abs

    ResponderExcluir
  15. ''Aí Maria Thereza, porque não se candidatar com esse discurso de a maconha “muda destinos, enquanto o álcool é eliminado na urina”? Mó grana…''
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    parabens pelo post...
    ass: GORDAUM...

    ResponderExcluir
  16. Nossaa muita besteira pra o meu cerebro cheio de thc ouvir oihsahoiashoiasihsaas

    FALASERIO

    ResponderExcluir