sexta-feira, 6 de maio de 2011

[Ed.114#] bONG: Uma dura Cinematográfica por uma Causa Nada Nobre!

 

por Marco Hollanda


Se o esforço policial utilizado contra as drogas ilícitas fosse aplicado em crimes verdadeiramente violentos, o Brasil talvez pudesse ter orgulho dos homens de farda. Mas enquanto isso não ocorre o bONG segue relatando casos de uma implacável e típica caça de gato e rato, onde raramente o interesse do caçador é manter a ordem pública.

 

Viajamos até Boa Terra de Salvador para ouvir uma história de quatro amigos – dois homens e duas mulheres – que tinham saído de um teste para gravação de um comercial no Pelourinho. Na volta, repetindo o feito da ida, o carro seguiu viagem no ritmo do rap e da fumaça verde. O clima era tão tranquilo que o motorista brincava de assustar os demais com uma suposta aproximação policial. Mas parece que isso acabou atraindo energias negativas.

 

O bote da guarda ocorreu no instante que veículo estava entrando no estacionamento de um enorme centro comercial. Em uma cena que lembra os programas norte-americanos de perseguição policial duas viaturas fecharam a passagem, com os Tiras apontando as armas e obrigado que  todos saíssem imediatamente do veículo. Felizmente o motorista conseguiu dispensar o beck sem despertar a atenção do homem de farda que estava ao seu lado.

 

Olhando para o alto era possível perceber que em quase todas as janelas do prédio de 12 andares havia um curioso observado o trabalho da polícia. Com homens e mulheres separados a revista começou. Logo foi encontrada uma bala no bolso do rapaz. Mas sem a presença de uma policial feminina os Tiras se contentaram em assistir as próprias mulheres retirando tudo que tinham na bolsa. Nem tudo, já que em uma delas também havia um flagrante escondido. Um salve paras as bolsas femininas e os inúmeros compartimentos de difícil acesso!

 

No interrogatório o clima ficou mais amistoso quando um dos policiais revelou que a filha também buscava um trabalho no meio artístico. De agente repressor o homem de farda passou a pedir conselhos para transmitir a filha e ainda agradeceu pelas dicas passadas.

 

Depois de uma longa conversa a história terminou com as viaturas batendo em retirada e os quatro livres de qualquer complicação. Ainda foi possível recuperar a baga dispensada no instante que o cerco foi fechado. A entrada no estacionamento foi abortada e a viagem continuou com uma carburação que ocorreu tranquilamente até a última ponta.

7 comentários:

  1. salvos pelo bong
    digo, pelo gongo

    ResponderExcluir
  2. Um salve para bahia

    ResponderExcluir
  3. hehehe,
    é isso aee
    salvos pelo bong
    digo, pelo gongo [2]

    ResponderExcluir
  4. Tomar geral e com flagra é tenso! Sorte deles que deu para dispensar e mais tarde recuperar... Mandaram bem! Hahaha...
    Um salve para as mulheres que tinham unzinho na bolsa e conseguiram dá o "dichavo"... MANDARAM MUITO BEM...
    Alô tbm para o PM que foi até "gente boa" com a galera e ainda pediu conselhos... FODA! Hahaha... Temos que compreender que os caras estão apenas cumprindo com seu dever. Mas fica a pergunta, pq da batida na galera?! Seria por causa da marola? Hahaha...

    ResponderExcluir
  5. pensei que ia ter helicoptero e tudo....

    ResponderExcluir
  6. http://www.youtube.com/watch?v=tQfHPbgS53g&feature=related

    ESSE CARA É O MESMO QUE EXCULAXA A LEGALIZAÇÃO!!!

    http://www.youtube.com/watch?v=tQfHPbgS53g&feature=related

    ESSE CARA É O MESMO QUE EXCULAXA A LEGALIZAÇÃO!!!

    http://www.youtube.com/watch?v=tQfHPbgS53g&feature=related

    ESSE CARA É O MESMO QUE EXCULAXA A LEGALIZAÇÃO!!!

    ResponderExcluir
  7. pensei que ia ter helicoptero e tudo.... [2]

    ResponderExcluir