sábado, 21 de maio de 2011

[Ed.116#] Discolized: Tim Maia – O Síndico do Estupefaciante!

por Várzea Crew

 

No meio de 19 irmãos, quem diria que Sebastião, o 17º filho, viria a tornar-se um dos maiores revolucionários da música brasileira? Carioca, do bairro da Tijuca, Tião desde muito criança já se mostrava um verdadeiro gênio em matéria de música. Sempre compondo, inventando e cantando suas próprias letras. Antes mesmo dos 15 anos, Tim Maia já era parceiro de Jorge Ben e Erasmo Carlos, e chegou a tocar com o "rei" Roberto em 1957 por alguns meses. Se qualquer adolescente costuma ter problema com os pais, esteja certo que Tim Maia tinha o triplo. Além das constantes brigas, o pai de Tim veio a falecer pouco antes de seu aniversário de 17 anos. Tim Maia não abriu mão de suas ambições, e partiu para o estrangeiro: mudou-se para Manhattan.

 

 

Pode-se dizer que Tim Maia simplesmente ficou em choque com a vida que tinha fora do Brasil. A ideia também cabe aqui: se qualquer adolescente perde os limites ao se ver livre de seus pais, esteja certo de que Tim Maia perdeu os limites em dobro. Quatro anos foram suficientes para que fosse deportado por roubo e porte de drogas ilícitas. Ainda assim, é um absurdo colocar as irresponsabilidades dessa fase de sua vida em primeiro plano; certamente que Tim, enquanto voltava para o Brasil, vinha com milhões de ideias depois de ter descoberto a Soul Music lá fora, e é isso que realmente importa!

 

Tim Maia voltou com tudo. Por não ter a usual ambição de estar no mainstream, Tim foi um dos pioneiros da real liberdade de expressão através da música. Nunca deixou de fazer tudo o que gostava, e tinha a consciência de que sua vida pessoal cabia só a ele. Essa talvez seja a maior prova de sua qualidade como músico e compositor, Tim Maia sempre esteve no mainstream, querendo ou não. Sempre foi requisitado em parcerias por diversos artistas, e retomou sua carreira no Brasil como produtor de alguns artistas da Jovem Guarda.

 

Apenas aos 26 anos, em 1968, surge o primeiro lançamento solo de Tim: um compacto com as músicas "Meu País" e "Sentimento", seguido de outro lançamento em 1969, com 2 músicas em inglês ("What do you want to bet" e "These are the songs"). Estes 2 trabalhos foram suficientes para atrair os olofotes e ganhar uma repercussão respeitável. E assim, em 1970, Tim lança um LP com a Polygram. O nome não poderia ser outro senão "Tim Maia". Nos anos seguintes, Sebastião mantinha seu padrão de vida politicamente incorreto, e Tim Maia mantinha-se na ativa, lançando 1 disco por ano até 1973.

 

Alguns anos depois, Tim Maia teve seu primeiro contato com a fase mais polêmica de sua carreira. Um belo dia, ao entrar em palco, todos têm uma grande surpresa ao se deparar com o cantor vestindo longas túnicas brancas, e dizendo que não iria cantar seus usuais sucessos aos quais todos esperavam ansiosamente. Em lugar disso, cantaria músicas sobre uma filosofia nova de vida: a Cultura Racional. Não demorou muito para Tim Maia desistir de seus novos ideais, e voltar atrás, dizendo que se arrependia de tudo que havia falado em seus 2 volumes de Tim Maia Racional, pedindo inclusive que estes discos saíssem de circulação comercial.

 

Se a cultura Racional era mesmo válida ou não, isso não vem ao caso. Acontece que é unânime entre os fãs de Tim que estes 2 discos foram as obras mais bem produzidas do cantor. É certo que essa qualidade musical superior se dá devido ao longo tempo longe das drogas e da vida desregrada. Tim Maia já era um grande músico sem muita dedicação, então alguns anos de muita dedicação foram suficientes para que produzisse uma das maiores obras primas da música brasileira.

 

Ainda depois da fase racional, Tim Maia seguiu lançando músicas que vieram a tornar-se sucessos nacionais. Todos os discos dessa lenda viva você encontra aqui, neste post!

 

Tim Maia vol.1

Tim Maia vol.2

Tim Maia vol.3

Tim Maia vol.4

Tim Maia Racional vol.1

Tim Maia Racional vol.2

O Descobridor dos sete mares

TIm maia (1986)

 

11 comentários:

  1. Impressionante como em 1970 e poucos o mestre Tim maia já falava a real na TV aberta, e até hoje a política de drogas continua sendo um lixo.
    Vergonhoso. #DESCRIMINALIZA BRASIL

    ResponderExcluir
  2. Desde 1970 o Brasil contiua o mesmo, se não pior em relação a política de drogas.

    ResponderExcluir
  3. esse video nao é dos anos 70 nao brother se ta viajando, nao tinha programa livre e nem sbt nos anos 70
    isso deve ser do começo dos anos 90

    ResponderExcluir
  4. salve salve Tim Maia......na minha opinião o maior musico brasileiro de todos os tempos!!!!

    ResponderExcluir
  5. isso sim é cantor de verdade, infelizmente no brasil nao surgem mais pessoas assim, qq eh a musica hoje em dia? restart?nxzero? tim maia, legiao urbana, vix tem muito som bom nas antigas...

    ResponderExcluir
  6. Era ele o melhor...

    ResponderExcluir
  7. isso sim é larica de informação..pra galera de SP, quem tava presente no tributo ao Rei Bob ontem?

    ResponderExcluir
  8. descordo do mano aí de cima, claro que surgem novos gênios na música brasileira, estão sempre surgindo... mas nunca no mainstream, mainstream só tem bosta mesmo, mas ae, Otto, Nação Zumbi, Black Alien, Curumin, mou rapa, tão tudo aí na ativa, só caçar!

    ResponderExcluir
  9. Já diria o planet hemp: "A casa cai quando rola o som do tim maia racional"
    Mandaram bem hempadão, Tim Maia foi o maior doidão da nossa musica brasileira...
    Leia a brigrafia dele escrita pelo Nelson Mota, e entendera o que estou dizendo.. haha
    salve salve maconheiros!

    ResponderExcluir
  10. Recomendo a biografia do Tim,é 100sacional!

    ResponderExcluir
  11. imunizaçao racional ...

    leia o livro , uahahuahuahuhauha

    mto bom !

    ResponderExcluir