segunda-feira, 11 de julho de 2011

[Ed.124#] Baseado na Lei – 25ª Edição: A Seriedade do Discurso!

por Cacá R. Müller

FHC (1)Fernando Henrique Cardoso, sociólogo e ex-presidente do Brasil. Ele comprou a briga a favor da legalização das “drogas”. Longe de debatermos, nesta semana, a legitimidade de seus argumentos ou um suposto objetivo eleitoreiro escondido nesta campanha, deve-se aplaudir a coragem do ex-presidente em debater o caso abertamente, com clareza e respeito.

 

O peso do cargo exercido pelo Transcendental Henrique Cardoso empresta seriedade ao debate relativo à legalização das drogas. Sem hipocrisia, o ex-presidente separa as drogas e seus usuários, sem a frieza da atual política de drogas aplicada no Brasil.

 

 

Com argumentos articulados e racionais, o ex-presidente tem debatido em diversos circuitos a necessidade da legalização das drogas no Brasil e no mundo. Seu nome tem ajudado a abrir as portas até mesmo dos veículos de comunicação mais conservadores. Assim, a sociedade brasileira tem se atentado para os nossos argumentos pró-maconha e entendido a seriedade do discurso.

 

Mais do que nunca, o Maconheiro tem de estar preparado para debater. Agora poderemos mostrar e argumentar. Seja na sala de aula, na fila do banco ou no programa de TV: vamos provar que a Maconha deve ser legalizada e que o proibicionismo está falido. Vamos aproveitar a carona do FHC e consolidar a luta pelo bem de nós todos. Observe, reflita, pense, critique, evolua e mude o mundo.

28 comentários:

  1. "Ele comprou a briga a favor da legalização das “drogas”."

    Legalização das drogas??

    Acho q houve um equivoco!
    Descriminalização das drogas e regulamentação da maconha!

    ResponderExcluir
  2. Rafael Siqueira - DF11 de julho de 2011 11:25

    complexoo... eleitoreiro não, mas q tem muito interesse econômico e industrial das fatias da grande burguesia, a qual ele sempre representou.. ah, isso tem!!

    ResponderExcluir
  3. o sistema só vai aliviar se lucrar em cima e tiver todo o controle.
    Mas enfim desde que parem de nos perseguir e a planta ja vai ser melhor.

    ResponderExcluir
  4. pourra, 80 anos no lombo, e dando a cara pra bater sobre a maconha... é um herói brasileiro, legítimo. e o resto da cachorrada 'política', que só querem roubar o dinhiro da copa e da olimpíada? e a jucarada de 16, 18, gritando 'não estamos preparados ainda', ou, 'só daqui 5, 10, 20 anos...' FHC dá de 10 a 0 nas novas gerações. dá-lhe fhc, obrigado de novo, vamos em frente...
    aí, jucarada mais nova que, apesar das boas intenções, ficam repetindo o discurso do inimigo, e girando a engrenagem do inimigo: mirem-se no exemplo de FHC.

    ResponderExcluir
  5. Esse argumento acima sobre burguesia já caiu no ridículo amigo. TODOS os políticos trabalham principalmente para e pela burguesia, afinal é essa burguesia que sustenta todo o resto. Vamos acabar com essas hipocresias.
    Tenho imenso respeito por essa figura que teve coragem de explicitar sobre vários assuntos antes sempre camuflados. Esse não um Lula amigo. Esse é Fernando Henrique Cardoso e tô com ele, esse sistema já tá falindo há muito tempo. Não podemos tratar usuário de maconha como bandido. O alcool é bastante prejudicial e continua na mídia diariamente incentivando milhares de adolescentes a experimentá-lo e nunca foram tratados como bandidos.
    Esse é problema central em todas as discussões a intolerância.

    ResponderExcluir
  6. FALA QUE TE ESCUTO TROLLADO!

    http://www.youtube.com/watch?v=o6o_y4peLHE&feature=player_embedded

    ResponderExcluir
  7. Embora maconha não seja droga na vida real, na nossa legislação do seculo passado "ainda" é, primeiro passo é concertar esse erro.
    Qualquer presidente que falar disso em exercicio, o avião pode cair (se é q vcs me entendem), então espero que varios ex-lideres como FHC e outros se manifestem cada vez mais e mais, estamos caminhando a longos passos para o final dessa imunda lavagem cerebral que os EUA implantou na mente de nossos familiares, que quem fuma é drogado, safado e deus sabe mais o que.
    Abaixo Discriminação!!

    Maconheiro sim, drogado não!!!!

    ResponderExcluir
  8. Continua assim a caravana não pode para ...

    ResponderExcluir
  9. Também acho que não há interesse eleitoreiro nessa história, ele mesmo confessou dizendo estar muito velho para o cargo de presidente. Outro detalhe importante é o fato dele querer a DESCRIMINALIZAÇÃO das drogas, não a legalização (por enquanto).

    Abraços

    ResponderExcluir
  10. é verdade. de nós, quantos chegaremos aos 80? a vida e a morte são o maior enigma deste planeta, galera. tomara que todos passemos, com saúde é claro, dos 80, 90, 100. fhc já alertou que brasília, tirando agora o STF e talvez a dilma, funciona como uma ilha distante da realidade do povo brasileiro. ele disse: 'o que o congresso aprova, o povo vaia. o que o povo quer aprovado, o congresso rejeita, e o STF corrige, aprova.' brasília foi o maior erro da história do brasa, bróderes. mas isso é outra história. parabéns infinito ao ministro chefe do nosso PLANO REAL e, finalmente, abolicionista e alforrista de todos os maconheiros barbaramente perseguidos, presos, torturados e mortos no território nacional nos últimos 100 anos, e, ainda, também lamentavelmente de outros inocentes que morreram no meio do 'fogo cruzado', das 'balas perdidas', financiadas pela insanidade corrompidamente sanguinária do proibicionismo tupiniquista.

    ResponderExcluir
  11. Veyyyyy vocês se acham tão espertos e veem mal em tudo
    o cara tem quase 90 anos e vocês ainda estão defecando pela boca falando que isso é pra ele se eleger!
    sejam mais inteligentes e compreendam que pessoas mudam e se mudam pra melhor e ainda mais a favor de nossas idéias devemos admirar e não FALAR BOSTA!

    ResponderExcluir
  12. fica só falando de burguesia!
    acha que é da paz e no fundo é um invejoso!
    pau no cu!

    ResponderExcluir
  13. é verdade o que é relatado sobre a importânçia do discursso na sociedade.
    ainda mais nós que fazemos uma coisa ''errada'' aos olhos dakeles qe proibem & ver a erva como sendo um mal social. Temos mais que ngm a necessidade de possuir argumentos convincentes .qe irao despertar a curiosidade das outras pessoas e que vaão faze-las pensar de uma outra forma sobre a erva e as drogas em geral .

    ResponderExcluir
  14. a grande cagada dos pseudoevangélicos foi ter demonizado a maconha, o que acabou por demonstrar cabalmente que não são, nunca foram e só serão verdadeiros evangélicos se defenderem a maconha, pelo fato de que JESUS ERA, É E SERÁ SEMPRE maconheiro, curava com a erva, tá na bíblia. quebraram-se os pseudoevangélicos, porque, como nunca estudaram porra nenhuma, bosta nenhuma, não conheceram a si mesmos, e não conseguiram ser mais do que um bando de anticristos endemoniados pelo dinheiro sujo dos fiéis ingnorados, desassistidos e ainda mais ignorantes... fhc luta contra a barbárie, pois estes homicidas pseudoevangélicos articulam chegar ao poder e tomar presidência da república, num 'país' de banguelas... o povão ignorante mal sabe a tabuada e vão votar no fanatismo pseudorreligioso. querem transformar o brasil num irã, galera, e o fhc sacou a jogada, e entrou em cena... ninguém sacou a parada? fora anticristos, falsos religiosos. JESUS E OS APÓSTOLOS ERAM, SÃO E SEMPRE SERÃO OS SANTOS MAIS FORTES DE TODOS OS MACONHEIROS.

    ResponderExcluir
  15. FHC "comprou"?!
    Ora, se vc tira o oportunismo eleitoreiro desse cara, o que sobra? sobra o Serra, aécio, beto richa...

    ResponderExcluir
  16. http://www.youtube.com/watch?v=o6o_y4peLHE&feature=player_embedded

    hahahahah foi foda!!!!

    SALVE FHC, GRANDE HOMEM!

    ResponderExcluir
  17. fhc é o cara...legalizaaaaaaa!!

    ResponderExcluir
  18. para de falar em oportunismo politico, se nao fosse fhc hj em dia ah gente ia estar fumando folha prensada e fica doidao quem viveu antes de fhc sabe do q eu to falando ninguem tinha 5 sobrando pra compra um baseado

    ResponderExcluir
  19. maconheiro guerreiro dos argumentos

    ResponderExcluir
  20. Eu só espero que não seja palavras da boca pra fora como são os políticos.

    Sr. ex - presidente FHC pois era contra nós, suas siglas formam o THC...vamos nessa luta

    ResponderExcluir
  21. Salve FHC. Um homem à frente do seu tempo.

    ResponderExcluir
  22. Falem o que quizer dele. Mas eu tiro meu chapéu pro cara, acabei de ver o filme.

    ResponderExcluir
  23. Vi o filme e apoio ele nessa empreitada, mas não dá para negar que ele foi um câncer como presidente.
    Não, o plano real não foi dele, foi do queridíssimo Itamar Franco, que morreu recentemente e passou quanse vinte anos batendo na tecla que FHC era um mentiroso e que o plano real não era dele, mas a midia marrom desse país, uma mídia elitista e burguesa nunca ia por o foco num cara que diz isso ao candidato das elites.
    Meu pai ficou deempregado 4 anos no governo FHC, e quase passamos fome em casa.
    Pode ser bom agora, mas porque não bateu nessa tecla quando ainda era presidente?
    Porque não tinha culhão para faze-lo!Agora fala que não tinha essa perspectiva.
    Na real, é só um imbecil querendo aparecer, assim como foi nos 8 anos do grande governo Lula, jogando indiretas para Lula, para sair na mídia.
    Repito, parabens FHC por defender uma causa nobre, mas não o tornem um santo, pois ele é um grande filho da puta.
    VEJAM, APENAS 1 MINUTO: http://www.youtube.com/watch?v=-bUuaZ1MOTI

    ResponderExcluir
  24. papo magríssimo e por foraça, só pra variar... pra vermos que ninguém é dono da verdade... Itamar, por brigas políticas, divergiu de FHC. O Plano Real tem lançamento em 1 de Julho de 1994. FHC entrou no Ministério em 1993, e só saiu em 30 de Março de 1994 para candidatar-se a presidente. O PLANO REAL É SIM DE FERNANDO HENRIQUE CARDOSO. Foi FHC que reuniu os maconheiros matemáticos para fumarem uma broca e inventarem o plano real... esse é que é o papo gordo, bróderes...

    Em 19 de maio de 1993 Fernando Henrique Cardoso foi nomeado para o cargo de Ministro da Fazenda pelo Presidente Itamar Franco, assumindo perante o país o compromisso de acabar com a inflação, ou pelo menos reduzí-la. Fernando Henrique ocupava até então o cargo de Ministro das Relações Exteriores. O novo ministro foi recebido com entusiasmo, pois refletia uma possibilidade real de solução dos problemas, principalmente devido à sua capacidade intelectual e conhecimento social em nível global. Reuniu um grupo de economistas para elaborar um plano de combate a inflação, como Persio Arida, André Lara Resende, Gustavo Franco, Pedro Malan, Edmar Bacha, Clóvis Carvalho e Winston Fritsch.
    Em 1º de agosto de 1993, o ministro promoveu a sétima mudança de moeda do Brasil, de Cruzeiro para Cruzeiro Real, para efeito de ajuste de valores. A intenção do governo era repetir mais uma vez a prática de "cortar três zeros", porém, no mesmo mês de lançamento do Cruzeiro Real a inflação foi de 33,53%, e em janeiro de 1994, de 42,19%.
    A partir de 28 de fevereiro de 1994, como efeito da Medida Provisória nº 434, iniciou-se a publicação dos valores diários da Unidade Real de Valor (U.R.V.) pelo Banco Central. A URV serviria como moeda escritural[5] para todas as transações econômicas, com conversão obrigatória de valores, promovendo uma desindexação geral da economia. A MP nº 343 foi reeditada pelas MPs nº 482 e nº 457, e transformada posteriormente nas leis nº 8.880 e nº 9.069.[1]
    A partir de 1º de março de 1994, passou a vigorar a Emenda Constitucional nº 10, que criou o Fundo Social de Emergência (FSE) considerado essencial para o êxito do plano. A emenda produziu a desvinculação de verbas do orçamento da União, direcionando os recursos para o fundo, que daria ao governo margem para remanejar e/ou cortar gastos supérfluos. Os gastos do governo contribuíam grandemente para a hiperinflação, uma vez que a máquina do Estado brasileiro era grande, dispendiosa e ávida por mais recursos. Poucas horas antes, o Ministro FHC foi à televisão e, em pronunciamento oficial em rede nacional, deu um ultimato ao Congresso Nacional para que aprovasse a emenda à Constituição Federal.[6]
    Em 30 de março, Rubens Ricupero assumiu o Ministério da Fazenda para substituir Fernando Henrique, que deixou o governo para se candidatar a Presidência da República. Em 30 de junho de 1994, encaminhou ao presidente Itamar Franco a exposição de motivos para a implantação do Plano Real.[7] Ricúpero caiu meses depois, em setembro, devido à repercussão na imprensa do que se chamou "Gafe da Parabólica", assumindo em seu lugar Ciro Gomes, na época membro do PSDB.[8]
    Em 1º de julho de 1994 houve a culminância do programa de estabilização, com o lançamento da nova moeda, o Real (R$). Toda a base monetária brasileira foi trocada de acordo com a paridade legalmente estabelecida: CR$2.750,00 para cada R$1,00.[9] A inflação acumulada até julho foi de 815,60%, e a primeira inflação registrada sob efeito da nova moeda foi de 6,08%, mínima recorde em muitos anos.

    ResponderExcluir
  25. - Somente mais um politico Capitalista pensando somente em votos ...
    Legalização é o caminho e não descriminalização, ou alguém ai quando pego com seu baseado diário espera ser internado em uma clinica de recuperação ? como um doente ...
    Esse é "Faladoor" !

    ResponderExcluir
  26. Polêmico!!! hahaha aê né por nada não...mas se o cara comprou a idéia e tá fazendo barulho!! isso é bom pra caralho!!! MD2 era preso na década passada! reflitam!

    ResponderExcluir