sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Guerra às Drogas Dentro da Lei é Coisa Rara! [bONG Ed. #129]

por Marco Hollanda

A história desta semana é mais um triste capítulo da repressão alimentada por uma cultura de ódio estabelecida pelos proibicionistas. Mais uma vez, o dever da polícia de combater o uso e venda de drogas perdeu toda fundamentação por conta de uma ação feita de forma ilegal e abusiva.

 

Naquele início de noite na capital paulista, os dois amigos saíram em busca de um pico tranquilo para a queima da erva proibida. Com acampamento estabelecido, a vela do dia foi sacada do bolso disponibilizada para carburação. O isqueiro vagabundo somado ao vento forte atrapalhavam o acendimento do baseado que custou para soltar as primeiras baforadas.

Resolvido o problema do fogo, nossos amigos seguiram a carburação atentos à aproximação de qualquer carro suspeito. Mas desta vez a tática de guerrilha da Guarda prevaleceu sobre a sagacidade canábica. Quando a viatura, que chegou completamente apagada, deu o bote certeiro só deu tempo de respirar fundo e buscar equilíbrio para a "negociação" que estava prestes a começar.

 

Ao levantar, o amigo que estava com beck na mão tentou ingenuamente dispensar o flagrante no chão. Para deixar o clima mais tenso, o Tira que achou a paranga era idêntico ao soldado Matias do filme Tropa de Elite, além de ser o único que portava uma arma de grosso calibre. Para piorar ainda mais, ele assumiu a posição de interrogador da operação e começou dizendo que já "estava doido para dar um soco!"

 

Seguindo a linha de ação da guarda negligente, o outro Tira entrou em ação para ser o bonzinho da história e tentar apaziguar a situação. Ele questionou sobre a existência de mais drogas no local, soltou mais alguns palavrões e acabou convencendo o policial linha-dura a não fazer uso de violência contra os usuários. Afinal, já passava de 19h e o local estava bem movimentado.

 

Os dois foram liberados após ter nomes e endereços anotados.

 

E você, já sofreu nas garras da Guarda Negligente? Se sim, conte sua história pra gente pelo endereço: redacao@hempadao.com!

26 comentários:

  1. Maconheiro Profissional19 de agosto de 2011 11:58

    PODEM FAZER O Q QUISEREM, MAS JAMAIS, NUNCA, DEIXAREI DE FUMAR MINHA ERVA, JAMAIS....QUEM SÃO ELES, QUEM ELES PENSAM QUE SÃO.....

    ResponderExcluir
  2. indignada que ainda aconteça esse tipo de coisa.. que afinal, vai demorar pra não acontecer mais..

    ResponderExcluir
  3. "estava doido pra dar um soco" É pra isso que entram na instituição. São doentes procurando um motivo pra descarregar o ódio. Coitado, viu tv demais. Leu de menos. E nunca pensou.

    ResponderExcluir
  4. Manter uma mentira (de que maconha é droga) durante 40 anos requer muito investimento em discriminação, dinheiro e vidas humanas.
    Mas o bem sempre prevalece, pois nunca convenceram as pessoas mais esclarecidas independente de fumarem ou não, foi uma mentira imposta, daquelas que não colam mesmo.
    Ass: maconheiro sempre, drogado nunca

    ResponderExcluir
  5. Basta assistir esses jornais sensacionalistas das 18:00 e fica claro que fazem uma divulgação da guerra do narcotrafico, para valorizar a mercadoria no mercado negro que os governantes do trafico fazem questão de manter.
    Tem jornalista desses que é doido pra malhar a nação cannabica, mas já não pega bem insultar milhões de telespectadores, mas não perdem a oportunidade de mostrar um traficante de uma biquera pé de chinelo vendendo erva sagrada, pra dizem prenderamum traficante de drogas rsrsrsr.
    Mas que droga esses zé poviho, mas o importante quea discriminação diminui a cada geração, temos umas bancadas religiosas pra colocar o pais pra tras, mas andamos pra frente, se mostrassemos uma cena dessas a 15 anos atras, todo mundo diria que é normal, hoje mais da metade de quem ve se indigna, proibicionistas de plantão tomem uma verdade na cara:
    "a verdade sempre prevalecera"

    ResponderExcluir
  6. Vish no dia no meu niver, eu tava com uma vela aproximadamente de umas 40g, parecia um rojão rsrsrsrs e infelizmente tivemos q arremessar longe para fujir do flagrante, graças a deus foi tudo tranquilo pois nós esta em um pico longe da civilização e q tinha um visual ai metemos o loco neles kkkkkkk falamos q estavamos curtindo um visual ouvindo um som kkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  7. TO CANSADO DE PASSAR POR ISSO AI ...

    ResponderExcluir
  8. A CULPA É DE QUEM, A CULPA É DE QUEM, A CULPA É DE QUEM?

    ResponderExcluir
  9. Calma... um dia isso vai acabar. Viram tv demais, leram de menos e nunca pensaram!!![2]

    ResponderExcluir
  10. Calma... um dia isso vai acabar. Viram tv demais, leram de menos e nunca pensaram!!![3]

    ResponderExcluir
  11. olha eu posso ate parecer careta falando isso mas cara e o trabalho deles,nenhum porco vai chegar pra voce e falar olha e um baseado que bonito qual seda voce usou,para eles nos somos criminosos e ate a lei mudar n adianta reclamar.se voce n quer passar por esse tipo de situaçao fume em casa porra,msmo pq fumar na rua fode com a imagem do consumidor de canabis,se a maioria fumesse em casa era capaz de essa porra ja ter sido legalizada,para de dar uma de trombadinha porra

    ResponderExcluir
  12. Nessa situação tenho que concordar com o Luis Claudio , se a nossa erva ainda está proibida , não vale a pena dar mole e fumar na rua, pq estamos cansados de saber que se rodarmos além de ouvirmos gracinhas sem podermos falar nada ainda teremos que morrer numa graninha para evitar um estresse maior. Infelizmente e por causa dessa lei retrograda e totalmente sem cabimento tenho que concordar que os vermes estavam fazendo o trabalho deles.

    ResponderExcluir
  13. ISSO NAO VAI ACABAR ENQUANTO NINGUEM RECLAMAR
    O ABUSO DA POLICIA VAI CONTINUAR ATÉ A LEGALIZAÇAO, E PARA LUTAR CONTRA ESSE ABUSO DE AUTORIDADE, SÓ RESPONDENDO À ALTURA E FAZENDO UM BOLETIM DE OCORRENCIA NO CASO DE ABUSO

    ResponderExcluir
  14. quando legalizar,aí agente pode fumar na frente desses ratos cinzas! e soltar fumaça bem na cara deles.

    ResponderExcluir
  15. Já rodei 2 vezes, sinceramente, nem lembro de uma delas direito, foi em 1991. Mas a segunda, pô, foi de lascar. Eu e um brodi estávamos queimando unzão (éramos contra unzinho) num estacionamento da 309 norte de Bsb, pelos idos de 1995... De repente, não mais que de repente, eis que surge uma PATAMO (polícia especial, tipo BOPE). Puta merda, bixo, fudeu a porra do carro estava todo apagado, sem farol, sem barulho, detalhe, sem barulho num estacionamento de cascalho!!! Como que eles conseguiram?! Bom, tive a brilhante idéia de arrancar com meu super chevete! Isso mesmo, eles já trancaram o carro, descendo com bazucas, escopetas, AK47, mísseis anti-maconheiros, etc. Tranquilo né? Hummmmm... simpaticamente, solicitaram que nós deitássemos no chão em silêncio... claro, tinha tentado fugir (juventude). Aí começou a palhaçada, cadê as drogas, sim, no plural, afinal de contas nínguem pode estar tão cheiroso e não ter vários, diversos tipos de outras drogas, além da ervinha (na cabeça deles que só queriam a bosta do pó). Depois de quase duas horas de diversas negociações amigáveis com os senhores policiais, os cavalheiros acharam nossa maconhinha, ihhh. Não levaram a gente pra delegacia pois confundiram o nome do meu pai (na carteira de identidade) com uma autoridade e se borraram de medo, mesmo eu garantindo que era um equívoco!!! Aí começou mais uma tentativa de suborno em cima dos macô, pô, não tinha grana na carteira. Então, sem dinheiro, eles resolveram nos entregar na porta de nossa casa, simpáticos, não é? Não é não, eu tava de carro, por íncrivel que pareça eles só queriam tentar estorquir minha família, hum, por essa nenhum maconheiro esperava, espertinhos. Pena que minha família estava viajando, ufa, só fui entregue na porta do meu bloco (prédio) escoltado pela polícia, discretamente, sem fazer muito barulho com a sirene, cantando pneu... Pois é galera, tudo nessa vida passa, até uma palhaçada dessas. A dica é: 1)não queime, vaporize jah; 2)não queime na rua, quando possível, vaporize.

    abçs cannábicos,

    Brasília juventude da 111 norte (na década de 90:)

    ResponderExcluir
  16. fuma em casa eh o caralho filho da puta

    ResponderExcluir
  17. eh da hora fuma um fazendo um rolê

    ResponderExcluir
  18. e quente tem gente que não pode fuma em casa

    ResponderExcluir
  19. Porra velho, tem que fumar mesmo, discretamente, e se rodar, assuma a parada, diga que fuma mesmo, que é trabalhador, estudante e honesto, que conhece seus direitos. Não somos nós que devemos aprender porra nenhuma. esses filadaputa é que tem que aprender e seguir a lei. Usuário não é criminoso.

    ResponderExcluir
  20. fumo mais em casa....melhor pico....

    ResponderExcluir
  21. Mas também tem policiais bem bacanas. Poucos mas existem. Daqueles que falam que o cara ta muito escancarado, diz que isso não se faz na rua e manda vaza de boa.

    ResponderExcluir
  22. Alguém sabe me dizer porque anotam seu endereço?

    ResponderExcluir
  23. Senador Lindbergh Farias: "(...)Pensando assim, pretendo apresentar em breve um projeto de Lei que revigore, aprimore e amplie os mecanismos de controle da atividade policial, apoiando o Ministério Público, o Judiciário, a Defensoria Pública e a sociedade civil, em seu esforço para reduzir os crimes perpetrados pelo próprio Estado. É preciso olhar menos para os desvios de conduta individuais e mais para os padrões institucionalizados e as responsabilidades superiores, nas instituições e nos governos. (...)"

    http://luizeduardosoares.blogspot.com/2011/08/pronunciamento-do-senador-lindbergh.html

    ResponderExcluir
  24. A CULPA É DE QUEM??? A CULPA É DE QUEM??? A CULPA É DE QUEEEEEEM???

    ResponderExcluir