quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Guia de Viagens – Capítulo 1! [Portas da Percepção Ed. 154#]

por Fernando Beserra

 

Hempadeiras, Hempadeiros e curiosos em geral. Hoje vamos dar continuidade à tradução do Guia de Viagens de Krystle Cole. O material inédito em português você lê aqui no Hempadão! Em uma viagem pelas Portas da Sensação, Cole aborda o uso do concorrido e estigmatizado MDMA.

 

CAPÍTULO 1 - Escolher o alucinógeno adequado

 

Escolher o alucinógeno adequado é o primeiro passo da preparação de uma viagem. É melhor se adentrar em uma viagem com uma ideia clara das intenções que se tem ou o que se quer obter da experiência. Por exemplo, se quer tomar uma substância que ajude a unir a duas pessoas queridas afetivamente uma a outra; Se quer algo que ajude a explorar a espiritualidade de uma maneira muito particular e introspectiva; Se busca uma experiência ligeira ou uma forte? Se buscam experiência visuais ou mais sensações do tipo táteis?

 

 

Para escolher o alucinógeno que mais se ajuste a alguns propósitos determinados, primeiro devem entender seus efeitos psicológicos básicos. Igualmente, considerando que a palavra alucinógeno engloba tal ampla quantidade e variedade de substâncias psicoativas, incluindo os canabinóides, sedantes hipnóticos, entactógenos e enteógenos, devemos restringir um pouco a questão. Só veremos os entactógenos e os enteógenos porque são os mais pertinentes ao conteúdo deste livro.

 

Entactógenos:

O termo foi cunhado por Dave Nichols, um conhecido investigador de enteógenos e cofundador do Instituto Heffer, para referir-se a substâncias que geram uma sensação interna de “proximidade” ou “contato a partir do interior”. Os entactógenos são chamados também empatógenos porque ajudam a identificar-se com os sentimentos dos demais.

 

O MDMA é o melhor ou mais óbvio exemplo de um entactógeno ou empatógeno. Antes de se tornar ilegal em 1986, era muito utilizado em sessões de psicoterapia. Milhares de médicos pensavam que o MDMA poderia ajudar os pacientes a superar barreiras emocionais e a trabalhar com problemas de stress emocional sem tanta ansiedade. Um psiquiatra chegou a apelidá-lo como “a penicilina da alma”.

 

Eis aqui uma descrição de minha primeira experiência com MDMA:

Nunca havia me sentido tão feliz. O mundo parecia exultante e irradiava cordialidade de calidez. Sentia-me tão bem! Notava uma cosquinha agradável por toda a minha pele e me invadiam sentimentos extraordinários de regozijo, placidez e bem-estar. Além disso minha mente se manteve despojada todo o tempo.

 

Havia conhecido a pessoa com quem tomei essa mesma noite mas já a sentia como se fôssemos uma família. A equipe de música soava e tudo era fabuloso, melhor que perfeito. A música tinha mais capacidade e mais profundidade do que jamais havia percebido.

 

Contemplei meu novo mundo com inocência, como uma criança vendo e escutando pela primeira vez. O som já não se concebia de ideias pré-concebidas sobre o que era, mas que estava diante de mim parcialmente desnudo. Os matizes e uma delicadeza extrema se podiam escutar. Meus olhos podiam perceber novas sombras e ligeiras variações de tonalidades.

 

Fluía tanta energia através de mim que era impossível me sentar, tinha que me levantar e dançar. Sentia que era impossível sentar-me, tinha que levantar-me e dançar. Me sentia como uma criança e girava em círculos com os braços estendidos como se abraçasse o mundo. Me movia com o som; minha alma flutuava com o pulso do ritmo. A música tomava novas formas segundo mudava e evoluía. Os altos e baixos se notavam mais e melhor do que nunca.

 

Me sentia rodeada pelo amor infinito do universo. E pela primeira vez na minha vida me senti em casa e a salvo.

 

Para descrever os efeitos do MDMA, Alexander Shulgin (2000) disse que sentiu: “... uma absoluta pulcritude interior e nada mais que pura euforia. Nunca me havia sentido tão genial, nem pensei que tal coisa fosse possível. A limpeza, a claridade, o sentimento maravilhoso de uma sólida força interior continuou o resto do dia, durante a tarde e até o dia seguinte. Estou constrangido pela profundidade da experiência...”

 

Enteógenos:

Os enteógenos têm sido utilizados como uma ferramenta espiritual de exploração da consciência em culturas muito diferentes ao longo da história. Alguns exemplos são os do kykeon de Eleusis, o soma do Rig Veda, o peiote da Igreja Nativo-Americana, o teonanácatl dos Astecas e a ayahuasca ou hoasca da Igreja do Santo Daime ou da União do Vegetal.

 

(...) Bem, hoje fechamos por aqui, começando a abordar nosso principal tópico. Semana que vem continuamos adentrando as profundezas de nossas Portas da Percepção.

23 comentários:

  1. !10! Uhull Miau Louko!

    Massa Fernando Beserra! BomconheiroPE! (acho que perdi minha conta no google).

    SEMPRE Acompanhando o P.P!

    ResponderExcluir
  2. http://enteogenico.blogspot.com/2011/01/salvinorina-e-ska-pastora.html ,, ,,, , ,, , , ,, , , , ,,,, , ,, ,, ,,,,,,,, ,, , .. .. . .!!!BomconheiPE!!!

    ResponderExcluir
  3. MDMA seria o Ecstasy (bala) certo? Já vi uns amigos meus conversando sobre variações... realmente existe isso? É alguma mistura?

    ResponderExcluir
  4. mdma é da classe das anfetaminas modificadas, ou as metanfetaminas.
    existem muitas variações quimicas do mdma, se não me engano mais de 100, cada uma com um efeito diferente um do outro

    ResponderExcluir
  5. Pooooww troquei o Theme do meu blog ontem, pra foto do gato dia 8 D: Muita conhecidência!!

    Mushroomamanita.tumblr.com

    ResponderExcluir
  6. No Universo Paralello 11 tomei MDMA, so que foram 2 tipo .. um crystal branco transparente e um maroom ..

    nusss fiquei kikando a noite intera kkkkkkkk
    good demais... conheci mt gente do brasil e mundo inteiro e com uma intimidade incrivel..

    Boa hempada!

    ResponderExcluir
  7. anonimo de cima, esse crystal branco q vc usou é metanfetamina (ou MD), isso é pior do q crack mano, pesquise e verá o q essa droga faz com as pessoas

    ResponderExcluir
  8. Cara, não tem pra ninguém, as melhores e mais marcantes experiencias vêm pelo DMT e compostos com características semelhantes...

    O enteógeno mais eficiente e seguro é a Ayahuasca, porém, deve ser tratada com muito respeito...algumas análogas como substancias presentes em cogus também valem a pena igualmente.
    Mané ecstasy...isso n presta, conheçam as verdadeiras substancias de poder, as plantas sagradas, aí sim vcs vão começar a SE conhecer.

    ResponderExcluir
  9. Muito interessante o texto. Minhas experiencias com lsd já passaram de 10 porém estou a um ano sem usar nenhum alucinógeno. Gostaria muito de experimentar peyote, ou talvez amanitas. Já venho pesquisando sobre enteógenos a algum tempo, me sinto preparado para uma nova descoberta.

    #LEGALIZA2012

    ResponderExcluir
  10. Anônimo, se referindo às melhores experiências com DMT, você estaria falando das triptaminas? É uma classe bem abrangente, mas seria uma perda terrível rejeitar a mescalina e seus cacti, e toda a classe dos compostos 2C-x, como o 2C-B, só porque não são triptaminas. Mesmo triptaminas podem diferir bastante dos efeitos do DMT, como o LSD, que é uma triptamina complexa, uma lisergamida. Também existem algumas modificações do DMT, como o DPT (Dipropiltriptamina), DiPT (di-isopropiltriptamina), etc. O livro de Alexander Shulgin, Tihkal, assim como o Pihkal, é muito interessante nesse quesito, o Shulgin criou vários análogos de triptaminas e feniletilaminas e publicou nesses dois livros.
    Também temos a importante Salvinorina A, da planta Salvia divinorum.
    Não é só porque uma substância não vem de uma planta ou fungo que não possa ter muito valor. O MDMA é uma substância que tem potencial terapêutico, e por que não, de certa forma psicodélico. Agora, se ecstasy de rua é MDMA puro, é outra história...
    A Ayahuasca é de fato uma bebida relativamente bem documentada, mas tem efeitos físicos que podem ser desagradáveis. Eu diria que cada um tem seu psicodélico ou classe de psicodélicos de preferência, cada substância com características e efeitos desejáveis e indesejáveis característicos. As plantas e fungos, apesar de sua segurança atestada pelo uso tradicional por milhares de anos ao redor do mundo, tem a desvantagem de não oferecer apenas o composto psicoativo puro. Por outro lado, cacti como o San Pedro e o Washuma conferem uma experiência única, diferente da mescalina pura, justamente pela presença de outras substâncias psicoativas.
    Aos interessados, MDMA puro tem uma aparência cristalizada, que lembra areia, quando pulverizado.

    Obrigado pela tradução, Fernando.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Excepcional!!!!!!!!!!! Me identifico demais. Já tive experiências mágicas, perfeitas, indescritivelmente profundas. Só no hempa a gente vê este tipo de abordagem....

    ResponderExcluir
  12. Entactógenos não me chamaram tanta atenção quanto Enteógenos... de qualquer forma, ambas experiências devem ser valiosas.
    Tenho um certo receio com relação às quimicas, o foda é o acesso as naturais (cactos, cogumelos e o próprio ayahuasca) e os efeitos colaterais no organismo (que pelo que eu saiba, não são tão fortes nas químicas).
    Enfim, acho tenho esse receio por nunca ter tido uma experiência.

    Alguém teria recomendações?

    ResponderExcluir
  13. nem curto suintéticos

    ResponderExcluir
  14. Bsla é a melhor droga disparado.

    ResponderExcluir
  15. prefiro uma @ do q o coentro!
    é mt foda

    ResponderExcluir
  16. prefiro a maconha falei e disse! eiuheauiaeiuiu mais to afim de experimenta uma ahuaska quero pesquizar como faz para tomar e como meditar e quero q minha mina tome junto quero uma locura iuaehuiaehiuaehuaeiuaeihuiaehui xD diz q eh bem espiritual o brike

    ResponderExcluir
  17. Na moral, esse papo de "planta sagrada", "respeite a planta e ela te respeitara", "MDMA não é 'bom', pois é sintético" ta ridículo. vamo parar de querer ser o rei da "gnose" do mundo, e aceitar que certas pessoas, preferem outras substancias. a mulher que escreveu esse texto, certa vez em um vídeo, falou que não acredita em droga que vicia/causa dano, mas sim, em pessoas sem conhecimento sobre como usar a substancia.

    ResponderExcluir
  18. salvia de vinorun a melhor de todas

    ResponderExcluir
  19. Concordo, cada um tem suas substâncias de preferência, não é porque vem de uma planta que será mais seguro do que um composto sintético. A planta só é psicoativa por causa das substâncias dentro dela, que poderiam ser muito bem extraídas e purificadas.
    Chá de trombeteira é mais perigoso que LSD, que é sintético, e heroína que é semi-sintética é mais perigosa que peyote.
    Não dá pra generalizar, cada substância ou ser vivo com psicoativos em si tem um perfil de segurança exclusivo, e técnicas para diminuir riscos existem.
    É necessário saber do que se trata o que você consome, para poder se informar e estar ciente dos riscos e do que fazer se der algo muito errado.
    Outro problema que a proibição traz é a falta de qualidade nas drogas ilegais, a sociedade não se importa conosco por causa do esteriótipo de drogado, quando de fato somos cidadãos, pagamos impostos, temos família e emprego, podemos ser amáveis e sábios.

    Eduardo Muniz, sobre sintéticos, é meio complicado porque a maioria desses compostos químicos ou são ilegais no Brasil, ou são ilegais fora daqui, e no Brasil não temos laboratórios químicos de drogas em abundância. Se quiser se aventurar na ilegalidade, pode procurar por LSD, popular ácido ou doce.
    É possível adquirir research chemicals pela internet, que seriam substâncias com efeitos psicoativos, mas que não conhecemos muito bem. Ninguém garante que alguma delas não cause doenças. Aí entram 4-AcO-DMT, 2C-I, a classe de drogas NBOMe...

    Agora, se quiser plantas e fungos, a história é outra... É relativamente fácil conseguir plantas psicodélicas. Salvia divinorum, sementes com LSA como Argyreia nervosa, Rivea corymbosa e Ipomoea tricolor, plantas com mescalina como os cacti Trichocereus pachanoi, Trichocereus bridgesii, Trichocereus peruvianus , é ilegal mas talvez não tão difícil de conseguir o Lophophora wiliamsii, que seria o peyote original. Mesmo as plantas da ayahuasca, que seriam Psychotria viridis e alguma planta com uma substância IMAO para tornar o princípio ativo oralmente, como Peganum harmala, podem ser compradas na internet.

    Quem quiser conversar comigo, aparece no meu blog e comenta em algum post, respondo com todo o prazer. http://edgarlemke.wordpress.com/.
    É preciso fazer um pouco de propaganda... haha

    Abraços.

    ResponderExcluir
  20. Ja tomei MDMA, é a melhor e mais brisante experiencia feliz!

    ResponderExcluir